segunda-feira, 25 de abril de 2016

Parece ímpossível...custa a crer

11 comentários:

  1. E ainda hoje é tão real em muitos locais deste Mundo tresloucado :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda se passam coisas destas e outras bem piores...
      Bjs e bf semana.

      Eliminar
  2. Custa a crer mesmo, mas era assim!

    Não sei como as coisas funcionavam nos outros países da Europa, mas cá, em Portugal, o casamento fazia da mulher propriedade (ou quase) do marido!
    A infeliz que tivesse o azar de casar com um prepotente machista, vivia no fio da navalha, sem que houvesse Lei que a protegesse.

    Mesmo depois da Nova Constituição da República, em que os direitos ficaram preto no branco, as coisas não foram fáceis. A mudança não se operou nas mentalidades...:(

    Demorou mas, felizmente, os tempos mudaram!

    Beijinhos, Papoila

    beijin

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mudaram mas ainda falta apurar muita coisinha :(
      Enfim, vamos acreditar que estamos no bom caminho.
      Beijinhos Janita.

      Eliminar
  3. Recomendações que não se aplicavam às hospedeiras e às enfermeira, porque era proibido ela casarem.
    Já para não falar do decreto lei 31.247 de 5 de Maio de 1941 (só nasci 15 anos depois) que decretava como deviam ser os fatos de banho das mulheres e homem, caso não cumprissem, a multa iria de 30$00 a 5 mil escudos, porque era considerado ofensas morais.

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa não sabia eu mas conto-te a titúlo de curiosidade que fui fotografada na praia de Carcavelos, teria uns seis anos e estava de bikini :)))) última moda vinda de Paris, onde o meu pai tinha estado em trabalho e me trouxe de presente :))) apareci no Jornal como grande curiosidade hihihi.

      Eliminar
  4. Aqui pode ter mudado, é bom.
    Mas, ainda hoje há quem viva sob leis semelhantes ou ainda mais bárbaras.
    bj amg

    ResponderEliminar
  5. Quando conto estas coisas aos jovens da minha tertúlia eles ficam incrédulos e alguns pensam mesmo que estou a gozar com eles...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Carlos custa-lhes a crer e mesmo depois de acreditarem continua a ser algo muito vago....não conseguem imaginar a dimensão da "aberração".
      Bj

      Eliminar
  6. Se tivesse sido assim à tanto tempo, custaria a crer.
    Mas como é uma realidade conhecida, do regime de Salazar, antes de 74... Nada de novo.
    Acho até normal, existirem regras, documentos, passaportes etc... faz sentido. Mas aí a alínea a) deixa claro que a mulher casada era tida como subordinada ao homem. Mas e se fosse maior e solteira??

    ResponderEliminar