sábado, 24 de janeiro de 2015

O contentor do lixo

Cheio e fechado.
Aberto, porque alguém se esqueceu de o fechar.
Deitado no chão, porque a Nortada o virou.
Parece que está tudo dito sobre o Contentor do lixo mas na minha rua não será bem assim...
Vivo numa rua muito sossegada, tenho os mesmos vizinhos há mais de trinta anos, conhece-mo-nos todos mas não temos por hábito frequentar as casas uns dos outros.
Ao longo destes anos tem acontecido um pouco de tudo: casamentos, nascimentos, mudanças e mortes.
Estou a agora a reparar que não há registo de divórcios!
Estamos  mais velhos e talvez por isso, os nossos hábitos estão a mudar.
Quem tem cão há muitos anos que passeia regularmente, duas ou mais vezes ao dia, só que agora juntaram-se os outros.
E estes "outros", quem são?
São os que obedientes, seguem as ordens dos médicos e decidem caminhar.
De manhã, depois do almoço ou ao fim da tarde cada um escolhe o seu horário e e a rua voltou a animar.
Encontra-mo-nos, cruza-mo-nos ou junta-mo-nos e  vamos sabendo uns dos outros.
No verão, por vezes até nos juntamos num dos jardins e tomamos uma bebida.
No inverno, por causa da chuva há mais desencontros mas há uma coisa que não falha:
O encontro no contentor do lixo!
Já lhe chamamos BIGBEN: há hora certa lá estamos com os nossos sacos, dois dedos de conversa e pronto: batemos o ponto!
Posso dizer-lhes que é um hábito muito simpático este encontro entre vizinhos.





3 comentários:

  1. Juntamo-nos, encontramo-nos. etc
    À hora certa...

    ResponderEliminar
  2. Nós humanos, gostamos, obviamente, de comunicar e aproveitamos todas as alturas para o fazer. Pena que estejamos a transformar a nossa sociedade real em virtual e a esquecer-mo-nos de falar olhos nos olhos.

    ResponderEliminar
  3. Curiosamente até há 12 anos vivia em moradia e conhecia todas as famílias da rua !... Actualmente (há 12 anos, resido em apartamento e quase não conheço ninguém ! (???)
    Muito estranho, não é ? ... :((
    .

    ResponderEliminar