domingo, 28 de dezembro de 2014

Percentagens, adolescentes e como tudo é relativo nesta vida!!!!

Vou directa "aos finalmentes":
JornalI-li este artigo e atabalhoadamente (confesso), registei num guardanapo de papel alguns números que me surpreenderam

A.....A maioria dos adolescentes portugueses vive com o pai e a mãe, ambos empregados e vivem bem:
79% têm quarto individual
73% vivem numa casa com dois ou mais computadores
24% vive com um computador
60% 2 ou mais carros
93% nunca vai para a cama com fome
1,3% VÃO SEMPRE PARA A CAMA COM FOME

B......A maioria está contente com o corpo que tem, 11% fazem dieta e a a maioria destes 11% são meninas.

C......Do que mais gostam na escola: os colegas e os intervalos
   ......Do que menos gostam: das aulas e da comida da cantina

D....... Vêem pouca televisão porque foi trocada por: consolas, computadores, internet, telefones inteligentes, etc
.........A dependência da internet dos jovens portugueses, medida numa tabela internacional é de 17,49 em 45

F....... Cyberbullying:
89% nunca estiveram envolvidos
5,5% foram vitimas
3,4% vitimas e provocadores
2% provocador

G......Os adolescentes portugueses consideram que têm uma optima relação com as família:
......... uma média de 8,8 numa escala de 0 a 10
......... e sentem-se muito apoiados por ela 23 num máximo de 28

Não consigo deixar de pensar naquilo que ouço com muita frequência:
Prestação  do carro
Prestação do empréstimo para a compra da casa
Prestação: do computador
Prestação: do tal telefone inteligentemente caríssimo
Prestação: da tv
Prestação: para férias

Será que os pais destes adolescentes teriam dado as mesmas respostas que os seus filhos?

O artigo foi escrito por Isabel Stiwell, baseado num estudo feito por HBSC (Health and Behaviour in School Aged Children), coordenado em Portugal pela professora Margarida Gaspar de Matos, que esta semana divulgou o relatório de 2014.
Usei apenas alguns dos valores, o artigo, caso estejam interessados pode ser lido na integra na edição de fim de semana do JORNALI 27/28 de Dezembro pag.13
Concluindo:
AINDA BEM QUE OS NOSSOS ADOLESCENTES SE SENTEM FELIZES.




9 comentários:

  1. Fizeram os inquéritos num desses colégios privados, seguramente!
    Não é esta a noção que tenho...

    Abraço

    Rosa dos Ventos

    ResponderEliminar

  2. Eu fico na dúvida se esses valores serão o espelho fiel da realidade... mas a serem não são maus.

    Beijos em Ti... com esperança num 2015 melhor, para nós e para os nossos jovens.
    (^^)

    ResponderEliminar
  3. Rosa dos Ventos, Pois aquilo que vejo também não é assim tão cor de rosa como eles a vêem....
    Mas mesmo em colégios privados e eu conheço bem a realidade de um há muitos pais cheios de problemas.
    xx

    ResponderEliminar
  4. Afrodite é o que eu digo Há muitas realidades....

    Há.de ser verdade para alguns e se for para muitos ainda bem!
    Obrigada pelo 2015 para ti um excelente ano em que nada te falte.xx

    ResponderEliminar
  5. A tal história das estatísticas - um frango, duas pessoas.
    Cada uma come meio frango.
    Uma vez que eu não como frango, alguma coisa não bate certo....
    Boa semana

    ResponderEliminar
  6. Estes inquéritos feitos à medida, não me enchem as medidas :-)
    Feliz Ano de 2015

    ResponderEliminar
  7. Ainda bem que os nossos adolescentes se sentem felizes, mas considero esse estudo um bocado otimisma. Será que estou enganada?

    FELIZ 2015 para ti! :)

    xxx

    ResponderEliminar
  8. Feliz Ano Novo Papoila
    _ e que as estatísticas sejam reais sem que as precisemos contabilizá-las e sim vive-las.
    meus abraços e que 2015 seja muito bom para todos nós.

    ResponderEliminar
  9. Estou aqui a "colar" nesses números e a pensar que realidade espelham. Se é mesmo a nossa numa amostra abrangente (o artigo não refere quantos foram os inquiridos, se a amostra foi obtida de modo equilibrado de Norte a Sul, Litoral e Interior ou grandes centros vs pequenas cidades ou vilas. Acho que esses parâmetros condicionariam algumas das respostas. Ainda assim, parece-me bastante positivo, especialmente o valor que dão ao relacionamento com os pais :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar