terça-feira, 25 de março de 2014

Um dia feliz

De Setembro até agora muito se tem passado por aqui, coisas boas e más.
Não vou entrar em detalhes mas hoje dei comigo a tirar grandes conclusões sobre a Felicidade.
Ontem tive um almoço que correu muito bem, estávamos todos alegres  descontraídos e durante umas horas esquecemos as grande preocupações que estão no ar.
Foi até estranho termos conseguido estar tão alegres...
Se ontem foi bom, hoje foi assim:
A Sra. Maria era casada com o Sr. Zé e durante trinta anos os dois tratavam dos jardins de quase todas as casas aqui da rua, no dia em que o marido morreu ela ocupou o lugar dele e continuou sozinha.
Nunca apanhou um transporte,   preferia andar a pé trabalhava muito porque além dos jardins também ajudava na cozinha de um restaurante.
É a única Jardineira que conheço que não gostava de flores :) pois só conseguia ver as pétalas no chão e a trabalheira que isso lhe iria dar...e não se cansava de dizer sempre a mesma frase quando via o chão cheio de camélias, ou de flores das Buganvilias e dos Jacarandás: « isto é uma grande porcaria»!!!
Pois bem, no principio deste mês soubemos pelo filho que ela teve um AVC.
Ficamos tristes e decidimos que teríamos que ir visitá-la.
Ela  trabalha para a minha vizinha/amiga da frente e hoje decidimos ir fazer uma caminhada para ver se descobríamos onde era o Lar em que ela estava.
Encontra-mo-lo à terceira tentativa.
Ela estava a conversar com a nora estavam as duas entretidas a conversar e numa grande harmonia.
Entretanto chegou o filho e soubemos que  eles todos os dias lá vão ao almoço e ao fim do dia , gostava que pudessem ter visto a adoração daquele filho e a ternura da nora.
Ela ficou TÃO FELIZ, TÃO FELIZ de nos ver que eu acho que nunca esquecerei este dia.

É bom não esquecer que muitas vezes é bem fácil fazer alguém feliz.

5 comentários:

  1. Por vezes, só o comodismo nos impede de fazer outros felizes...

    ResponderEliminar
  2. Entre as flores e a dureza da vida, por vezes o objectivo é apenas o trabalho concretizado e a satisfação do dever cumprido.Talvez no intervalo, D. Maria gostasse das flores - à sua maneira.

    As flores são maravilhosas mas a sensibilidade humana vai muito para além destas e o que tu nos contas aqui, é a prova disso.

    Um bem haja!
    xx

    ResponderEliminar
  3. Zizi...Olá! Ela gosta das flores mas nunca esquece a trabalheira que elas lhe dão :))) Nós é que brincamos com a ela a dizer que ela é a única jardineira que não gosta.....
    xx

    ResponderEliminar
  4. Carlos,Concordo que se pode fazer muito mais do que se faz...
    xx

    ResponderEliminar
  5. Devias ter-lhe levado um ramo de flores para a brincadeira ficar completa! :)
    Há mais gente assim do que se pensa!

    Abraço

    ResponderEliminar