sexta-feira, 16 de abril de 2010

PORTUGAL e os PORTUGUESES olhem que não é fácil...


Esta manhã ouvi na televisão muitas pessoas indignadas por causa de uma nova lei (?) que vai fazer com que comece a CAÇA À MULTA...
Desculpem mas não entendo estes brilhantes raciocínios!
É obrigatório usar cinto de segurança:   eu conheço pessoas que não os usam porque: "é só para ir mesmo aqui..não vale a pena..."
Há uma Operação STOP e todos os carros emitem sinais de luzes (como quem diz: portem-se bem durante 200m que a polícia está mesmo ali...)
Estacionamos em segunda fila ou em cima dos passeios mas se aparece a Polícia ainda há quem fique zangado e refile com o Polícia...
Esses portugueses são os mesmos que contam as férias maravilhosas que passaram no meio de gente educada e civilizada que respeita as normas ! Maravilhados porque não viram um papel no chão, porque LÁ não se brinca na estrada porque: "É PÁ: FICAS LOGO SEM CARTA", não é como aqui...., cuidado com os traços continúos, com as ultrapassagens e nem te atrevas a estacionar mal...nunca mais vês o carro e pagas um BALÚRDIOOOO!!!!
Qual será a parte que não compreendem???
Não uso cinto para "agradar" ao polícia :)
Se decido parar em segunda fila..sei que me arrisco a apanhar multa
Se estaciono em cima do passeio...também sei que pode vir o reboque
Se conduzo acima da velocidade permitida...posso ser multada, ter um acidente, morrer ou matar
Tudo são riscos e opções, cada um escolhe o quer: mas não se ARME EM VÍTIMA.

Por tudo isto, acho que para quem for cumpridor do código, deve-se ESTAR NAS TINTAS  que a caça às multas tenha começado! E até digo mais, porque não ficar contente? Pode ser que apanhe uma data de gente e o transito melhore  :)
É óbvio que para mim as normas  e leis do código são para serem cumpridas pois foram feitas não para nos aborrecerem mas sim para nos protegerem.
Já fui para o hospital toda partida porque um condutor BÊBADO se espetou no carro onde eu ía, para mim: TOLERÂNCIA ZERO!!!

13 comentários:

  1. Nossa, concorso plenamente com você! Aqui no Brasil não é muito diferente não!!

    O meu irmão tem 21 anos.. 2 anos mais novo que eu.. e a moça do beijinho fofo sou eu mesmo ^^ (brigada pelo elogio!)

    bjos!

    ResponderEliminar
  2. Aplaudo-a de pé!!! Tiro-lhe o chapéu!
    Ainda ontem me meti numa "guerra" que não era minha, por causa de alguém que dizia mal do nosso país, só porque uma pessoa que foi encontrada sem vida em casa, teve que "esperar" que se chamassem as autoridades competentes, para o corpo ser liberado
    Gabava-se que tinha acontecido o mesmo a um familiar e a agência funerária tinha tratado de tudo (incluindo uma certidão de óbito "comprada" a um médico que não fazia a mínima ideia de quem era o defunto).
    Concluí que uma família pode "matar" um membro menos desejado, que há agências funerárias que tratam de tudo?????
    Estamos num belíssimo país de "atrasados", de vigaristas ... tenho tanta, mas tanta pena mesmo...
    Abracinho

    ResponderEliminar
  3. Não conduzo - ainda - e quando ando na rua faz-me muita confusão a falta de respeito e de civismo que testemunho nas relações:
    1 - condutor - condutor
    e
    2 - peão - condutor
    Ver um condutor estacionar o carro em cima de um passeio, porque naquele momento até vai à farmácia porque tem o filho doente no carro, para mim não é grave, nem razão para multar. Pior que isso é ver um peão ATIRAR-SE em grandes vôos para o meio da passadeira! Ah isso tira-me do sério!! É que tanto quanto eu percebo de condução (que ainda não é nada), o condutor tem que ter um tempo de reacção mínimo para poder parar antes da passadeira e com segurança para todos... mas os peões conseguem ser tão egoístas que nem se lembram desse PEQUENO pormenor. Depois, se acontece alguma coisa, a culpa é sempre do condutor, porque o Sr. Peão Egoísta Mal-formado e com Falta de Civismo se ATIROU PARA A ESTRADA.... ah tenham dó!!! O carro não pára com o pensamento.
    Para mim, essa é uma das piores atrocidades das estradas.

    Tolerância Zero, sim, mas também para os peões!!

    Beijinhos**

    ResponderEliminar
  4. Olá Papoila, boa noite!

    Em primeiro lugar devo dizer-lhe de que não tenho blog. Portanto não se preocupe!

    Sobre este post, que eu diria de "utilidade pública", como sabe falta ou faltou a este país uma revolução cultural e portanto temos aquilo que merecemos!

    Desejo que tenha uma boa noite e o um óptimo Domingo!

    Beijinho,

    Renato

    ResponderEliminar
  5. Papoila, tem toda a razão, na pureza dos princípios: quem não deve, não teme. O problema é se os nossos agentes policiais, para cumprirem os seus objectivos (e receberam os prémios correspondentes em retribuição ou em acelerada progressão na carreira), começam a ver infracções onde elas não existiram (eu passei com o sinal amarelo, mas o senhor guarda já o viu vermelho; eu passei sobre o tracejado, mas o senhor guarda diz que já estava contínuo). Ou, o que acho mais enervante, se começam a dar caça às infracções insignificantes ou inócuas (e frequentemente impostas pela falta de soluções legais), fechando os olhos (como vejo demasiadas vezes fazer) às que realmente atentam contra a vida e a segurança das pessoas ou prejudicam, de facto, a fluidez do trânsito. A ver vamos o que isto dá. :-)

    ResponderEliminar
  6. Clara,o teu irmão tem muito sentido de humor! Imagino que no Brasil as "coisas" são muito parecidas com as nossas :):)
    LALA, é verdade que a relação Peão/ condutor ainda tem muito que evoluir mas, logo à partida dentro das localidades/povoações a velocidade segundo o código tem que ser reduzida precisamente para dar tempo ao condutor de poder travar ou desviar-se dos peões. Irritante é ver os peões passando muiiiito devagariiinho quando o tráfego está caótico e toda a gente cheia de pressa!:)
    Luisa, Tem muita razão em tudo o que diz, mas, vamos pelo bom senso (espero que os policias também!!!) nós adultos encartados sabemos bem o que fazemos e muitas vezes "facilitamos" e erramos na esperança que ninguém veja :)
    Há muito para aprender de parte a parte, eu não descarto a possibilidade de termos o azar de encontrar um Agente que abusa de autoridade. Eu sei que os HÁ!!!

    ResponderEliminar
  7. Renato,
    Concordo consigo.
    Temos todos muito que aprender ....

    ResponderEliminar
  8. Papoila, você está com a razão, quem não quer ser fiscalizado é porque "tem culpa no cartório" como se diz por essas bandas daqui.
    Beijão.
    Ah, o nome do autor daquele livro que falei sobre a vlhice é Carl Rogers, um famoso psicólogo humanista que, inclusive foi indicado ao nobel da paz. Não lembro mais o nome do livro, faz muiiito tempo que li. Se tiver alguma pista, te aviso. ok?

    ResponderEliminar
  9. Marli,
    Obrigada, vou tentar descobrir o livro!
    beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Papoila
    Tens razão, nós somos um povo muito particular, temos o culto da desobediência e da transgressão. Não há nada que nos dê mais prazer do que fazer uma pequena transgressão: "Ah, ali não se podia fotografar, mas eu fotografei!" "O limite era 120, mas eu cheguei aos 160!" e por aí fora. Fernando Pessoa dizia que eramos os heróis do bairro, desde que não precisassemos de fazer mais nada.
    Ok, agora vou à procura do elefante.
    Bjs

    ResponderEliminar
  11. Os portugueses, já o sabemos, são os lídimos protagonistas da História do "Velho, o Rapaz e o Burro". Não fomos também nós que criámos aquele ditado " Preso por ter cão e preso por não ter?" Pois é, Papoila estou (quase) totalmente de acordo consigo: quem infringe a lei que seja punido. O problema, porém, é o que a Luísa aqui levanta. E se os polícias para " atingirem os objectivos" desatam a multar os excessos de velocidade nas auto-estradas ( são sempre as mais fáceis de aplicar), mas esquecem-se das manobras perigosas, das conversas ao telemóvel enquanto se conduz e de outras mais graves?
    Confiemos no bom senso da polícia, mas sou como S. Tomé. Ver para crer.

    ResponderEliminar
  12. Carlos,
    Isto é como tudo...uns (nós) e outros (polícias)
    podemos cair no exagero!
    Pisar traços contínuos, estacionar mal...é o que se vê mais por aí são infracções quase banais! Aqui somos nós que abusamos! Nas "guerras" dos excessos das velocidade nas auto-estradas provavelmente abusarão eles!
    Vamos esperar para ver se isto melhora.

    ResponderEliminar